• Categoria do post:Turismo

A polícia francesa da cidade de Bourg Saint-Maurice descreveu seu resgate como um “milagre”.

Um menino de 12 anos foi encontrado vivo e ileso nos Alpes franceses depois de ficar submerso por uma avalanche por 40 minutos. A polícia francesa da cidade de Bourg Saint-Maurice descreveu seu resgate como um “milagre”.

Bourg-Saint-Maurice, popularmente conhecido como Bourg, é uma comuna no departamento de Savoie na região de Auvergne-Rhône-Alpes no sudeste da França e é a última cidade ao longo do vale Tarentaise nos Alpes franceses. A cidade faz parte da área de esqui Paradiski, que possui 425 quilômetros de pistas, 141 teleféricos e 239 pistas. O local está ligado ao Arc 1600 pelo funicular Arc en Ciel e abriga inúmeras propriedades para aluguel.

O menino, que estava esquiando fora de pista na estação de esqui La Plagne com outros sete esquiadores na semana passada, foi arrastado por uma avalanche inesperada. O menino estava à frente de seus colegas esquiadores quando foi pego por uma grande seção de neve que rolou montanha abaixo. Ele foi arrastado por aproximadamente 110 metros pelo peso da avalanche.

O menino, que estava a 7.875 pés montanha acima, foi encontrado por equipes de resgate que chegaram ao local de helicóptero. Um cão farejador localizou o jovem esquiador, cuja jaqueta de inverno não tinha detector de avalanche.

Embora o processo exato ainda não seja totalmente compreendido, os cães de busca e resgate de avalanches identificam o cheiro humano de jangadas de pele, células de pele portadoras de cheiro que caem de humanos vivos a uma taxa de aproximadamente 40.000 células por minuto, suor evaporado e pulmão ou gases de decomposição. que são liberados pela ação bacteriana na pele ou nos tecidos. Os cães de avalanche são capazes de farejar pessoas que estão a menos de 4,5 metros de neve. Entre as raças utilizadas para essa tarefa estão o São Bernardo, o Pastor Alemão e o Labrador Retriever.

Apesar de ter ficado preso por quase 40 minutos, os socorristas conseguiram encontrar o menino vivo e bem, algo que descreveram como “milagroso”, já que a chance de sobrevivência após 15 minutos sob a neve é ​​mínima. A polícia disse que ele foi capaz de aguentar porque suas vias aéreas não foram obstruídas pela neve. “Podemos chamar de milagre. Um dia depois do Natal, havia outro presente guardado”, disse o capitão Patrice Ribes.

Embora aparentemente não tenha se machucado, o menino foi levado a um hospital local para um check-up.